Cão vadio

Quisera eu,

ao menos ter o privilégio

em “comer do pão que o Diabo amassou”

pois, quem dele provou,

eu tenho plena certeza

de que a sua fome matou

 

Quisera eu,

ao menos ter “bosta no cu para cagar”

pois, quem a tem,

é muito certo que há pouco

tivera do que se alimentar

 

Quisera eu,

ao menos ter sido um dia

chamado de “Tássia”

“Tá se achando” pois, hoje em dia,

é considerado profissão,

praticada pela maioria dessa grande máfia

 

Quisera eu,

ter o privilégio em alimentar-me bem,

como o de comer um cobiçado ovo frito

E, depois dessa deliciosa refeição,

deitar-me para uma repousada digestão

e arrotar, não caviar,

mas o próprio bendito – ovo frito

 

Mas eu fiquei só na quimera

deste maldito “quisera”

de que um dia eu pudesse viver uma primavera,

cujas flores seriam a felicidade brotando de mim

 

Só que a dor perene em meu peito

que,de tão latente,

não me deixa dormir direito

e sempre me obriga

a chegar ao real conceito

de que o que eu vivo mesmo

não é passado nem futuro,

e sim um presente mais que perfeito

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *